Pranayama – Nadi Shodana

0
978

Saudações ióguicas!

Em sânscrito, língua sagrada da Índia, a palavra Pranayama – que significa “controle da respiração” – é escrita da seguinte maneira:

प्राणायाम

No Ashtanga Yoga de Patanjali (Ashta = oito, Anga = passos), os oito passos até o despertar da Consciência podem ser descritos como:

  • Yamas (condutas éticas)
  • Niyamas (purificações)
  • Ásanas (posturas)
  • Pranayamas (controle da respiração)
  • Pratyahara (controle dos sentidos)
  • Dharana (concentração)
  • Dhyana (meditação)
  • Samadhi (contemplação/iluminação)

Tradução da palavra:

  • Prana: alento, força vital, respiração, energia, vitalidade; e
  • Ayáma: expansão, controle, domínio, retenção, pausa.

Utilizando a nossa respiração, podemos expandir a energia vital (Prana) no organismo.

Segundo o Yoga Sutra, texto de Patanjali que inseriu o Yoga como uma escola filosófica, “Pranayama consiste em controlar o processo de inspirar (shwása) e expirar (prashwása).”

Assim, o quarto passo é essencial para que todos os demais possam acontecer de maneira correta. A respiração é o fio condutor da prática. Sem ela, as posturas são meras performances e não prática de Yoga.

Para se explicar a importância da respiração correta em nossas vidas, faz-se necessário estudarmos, mesmo que de forma resumida, a fisiologia sutil.

FISIOLOGIA SUTIL

A respiração faz a captação do Prana, juntamente com os gases (físicos), portanto isso já seria o bastante. A captação da energia é o que nos mantém vivos. Vamos aprofundar esse entendimento:

Os principais nadis do corpo sutil

A figura acima mostra os principais canais energéticos do corpo sutil: ida, píngala e sushumna (central).

Quando temos uma respiração adequada, promovemos uma boa circulação de Prana por esses canais, os quais passam diretamente pelos principais chakras (centros de energia), como pode ser observado acima. Essa fluidez faz com que tenhamos saúde, ou seja, mantemos o organismo em harmonia consigo próprio e com o meio que interage.

Dica: por isso é tão importante mantermos a coluna ereta durante o dia.

Os nadis “laterais”, por assim dizer, possuem polaridades e características, podendo-se destacar:

Nadi IDA PÍNGALA
Polaridade Negativa Positiva
Narina Esquerda Direita
Hemisfério cerebral Direito Esquerdo
Características gerais Receptiva, passiva, feminina, lunar, visual, emocional. Processos da consciência, internos. Intuição. Dinâmica, ativa, masculina, solar, verbal, racional. Relaciona-se com os processos físicos, externos. Lógica.

O principal nadi, localizado ao centro, na coluna vertebral, chama-se sushumna e permanece ativo (sem obstruções energéticas) quando os outros (ida e píngala) funcionam em harmonia. Ele é de energia neutra, ligado à energia espiritual (ainda mais sutil que todos os demais nadis).

O importante texto intitulado Hatha Yoga Pradipika, Cap. 2, verso 2, nos ensina que:

“Quando o Prana se move, a mente se move. Quando o Prana está imóvel, a mente está imóvel. Mantendo-se a estabilidade do Prana, o praticante de Yoga atinge a estabilidade (mental) e deve assim reter o ar.”

Nesse verso ele mostra o quão importante é o controle do Prana, o qual está intrinsecamente ligado ao controle da mente e, assim, entendemos que podemos controlar o Prana, obtemos também o controle da mente.

Agora vamos para a prática!

Nadi Shodhana, a Respiração Polarizada

Execução:

  • Tampar a narina direita com o polegar direito;
  • Inspirar pela narina esquerda;
  • Reter o ar nos pulmões por quatro “tempos” (pode ser uma contagem de segundos, de batimentos do coração, ou de um “tempo” que você determina);
  • Tampar a narina esquerda com o indicador da mão direita e soltar o ar pela narina direita;
  • Inspirar pela narina direita;
  • Reter o ar nos pulmões por quatro “tempos”;
  • Tampar a narina direita com o indicador da mão direita e soltar o ar pela narina esquerda;

Indicação: realizar cinco ciclos ou mais, em momentos de estresse, raiva, pânico, cansaço, insônia, embotamento mental. Pode-se realizar de noite, antes de dormir, para se preparar o sono ou antes de uma prática meditativa.

Pode-se utilizar o vishnu mudrá para a realização desta respiração:

vishnu mudrá

Faça todos os dias que quiser e lembrar. Essa técnica trará equilíbrio, sensatez, tranquilidade. Desfrute de seus benefícios, pratique!

Após conhecermos um pouco mais sobre a técnica de respiração Nadi Shodana, podemos seguir com os ensinamentos. Aguarde o tema de nosso próximo artigo!

Até lá, Namastê!

Luis Mauricio Fiorelli

Site: www.yogasorocaba.com.br

Mail: [email protected]

Whats: [15] 98134-4357

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here