Os trabalhadores e trabalhadoras em transporte urbano, suburbano, rodoviário, de fretamento e de cargas nos municípios das regiões de Sorocaba, Itapeva, Itapetininga e São Roque irão participar da GREVE GERAL no dia 14 de junho, convocada pelas centrais sindicais brasileiras contra os cortes na Educação e a reforma da Previdência.

A paralisação em todos os setores do transporte no Brasil será de 24 horas e foi reforçada no lançamento da Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Trabalhadores em Transportes, que reuniu centenas de dirigentes e trabalhadores no último dia 5, no auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, em Brasília.

Os sindicatos de transportes e demais categorias estão realizando assembleias com trabalhadores em todo o Brasil e ratificando a participação na greve geral. O Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região está aproveitando as assembleias da campanha salarial para aprovar a participação na greve geral. Os trabalhadores em transporte urbano de Sorocaba já aprovaram aderir à greve geral e o Sindicato irá realizar assembleia nesta sexta-feira, 7, com os trabalhadores no urbano de Votorantim e dos setores suburbano, rodoviário, de fretamento e de cargas.

“Nosso país está mergulhado no desemprego e a proposta do atual governo é tirar mais direitos dos trabalhadores, é empobrecer ainda mais o povo que já é sofrido. Agora querem acabar com a nossa aposentadoria. Nós não podemos aceitar e não iremos ficar calados. Dia 14 de junho será igual a música do Raul Seixas, será o dia em que a terra parou. Dia 14 de junho é greve geral contra a reforma da Previdência”, afirma o presidente do Sindicato dos Rodoviários Paulo João Estausia.

Durante as assembleias realizadas com categoria, o vice-presidente do Sindicato dos Rodoviários e vereador em Sorocaba Francisco França chama a atenção dos trabalhadores para não se deixarem enganar com a propaganda do governo.

“Vocês devem se lembrar que os apoiadores da reforma trabalhista diziam que era preciso fazer a reforma para gerar empregos, igualzinho acontece agora com a reforma da Previdência. Pois bem, isso é falso, é mentira! Qual emprego foi gerado com a reforma trabalhista? Nenhum! E agora veem com o mesmo discurso para enganar o povo. A reforma da Previdência não irá gerar empregos, a reforma só irá deixar o trabalhador mais pobre, sem aposentadoria na velhice. Não acredite em mentiras!”, ressalta França.

Uma plenária com os representantes sindicais de todas as categorias da região de Sorocaba irá acontecer no próximo dia 12 de junho para definir os últimos detalhes da estratégia da greve geral de 14 de junho.