Tragédia ou Acidente no Flamengo e em Brumadinho? Não concordo!

0
179

O ano de 2019 começou com sequenciais notícias muito desagradáveis. Noticiários e redes sociais anunciaram o rompimento da barragem da empresa Vale na Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, município na zona metropolitana de Belo Horizonte. Pouco depois no Rio de Janeiro, soubemos do incêndio no alojamento “Ninho do Urubu”, do Clube de Regatas Flamengo.

Ouvi e li em quase todas mídias os seguintes termos para se referir a esses ocorridos: “TRAGÉDIA” e “ACIDENTE”. Não posso concordar, infelizmente! Quando alguém pode deliberar sobre opiniões, decisões, infraestrutura, investimentos ou quaisquer outra condição que evite a perda de vidas, sejam elas de qual espécie for, mas assim não o faz, precisamos utilizar outro termo: CRIME! Se o limite de velocidade de uma via é excedido, eu assumo o risco do acidente e, se eu causar alguma morte por atropelamento, por exemplo, respondo por um crime doloso! Conforme consta no artigo 18, I do Código Penal: É o crime cometido com plena consciência da ilegalidade da conduta praticada, visando o resultado ilícito ou assumindo o risco de produzi-lo.

Sendo assim, medidas que não foram tomadas para evitar um acidente, devemos conceituar como crime! Em Brumadinho, o rompimento da barragem é “apenas” a consequência de uma sucessão de decisões precipitadas, desonestas, ilegais, irregulares e criminais! Quanto ao incêndio ocorrido no alojamento do Flamengo, exatamente no mesmo contexto… entretanto, preciso colocar os pingos nos “is”: o fogo iniciado pode ser um ocorrido que poderia ser evitado, mas também pondero, pois o contrário talvez seja verdade. Aonde, portanto, está o crime no caso do Flamengo? Quando alvará de funcionamento, AVCB do Corpo de Bombeiros ou qualquer outra medida não está regular e para tantas pessoas há apenas uma única saída, essa é a irregularidade evidente (e não precisamos ser profissionais em gerenciamento de risco para saber!) – isso é crime!

Precisamos reconhecer que acidentes podem ocorrer, infelizmente. Porém, precisamos aprender sobre e sob eles para que possamos evitar novos acontecimentos pelos mesmos motivos. Quando ocorre um acidente aéreo, como por exemplo, a queda de um avião, independentemente do número de vítimas fatais, TODAS as empresas aéreas estudam detalhadamente os fatores envolvidos no acidente para que, desse modo, possam evitar com que o mesmo ocorram com elas. Talvez esteja o tempo mais do que passado para que demais setores empresariais tenham essas atitudes como protocolo, e adotem em seus gerenciamentos de risco e reciclagem de capital intelectual.

Outro exemplo clássico da relação entre responsabilidade social e comportamento ético da gestão corporativa é o acidente com a Exon Valdez ocorrido em março de 1989. Após o acidente foi formada a organização Coalition for Environmentally Responsible Economies (Ceres), por grupos ambientalistas, trabalhistas, de empresários e de investidores sociais, que formularam dez princípios de responsabilidade ambiental, denominados Valdez Principles e, depois, Ceres Principles, para expressar o compromisso das corporações com a proteção do planeta. Isso demonstra que a responsabilidade social vai além do cumprimento legal, envolvendo o comportamento ético das corporações.

Tive de engolir um amargor com uma frase que li sobre a indenização que será paga (espero que realmente seja) às famílias afetadas. Esse cidadão comentou em um determinado post numa rede social: “Tomara que recebam a indenização, pra saírem daquele lugar e morar em lugar melhor.” Primeiramente, meu repúdio absoluto ao pensamento desse ser infeliz! Gostaria de finalizar meu artigo com algumas perguntas pra refletirmos sobre o tema:

Qual o valor de suas lembranças familiares? Qual o valor que existe em todas as fotos de sua família? Quanto vale o convívio com seu animal de estimação? Quanto vale a vivência do seu lar? Quanto vale aquela lembrança material que você tem de algum familiar (qualquer objeto que te faça lembrar de alguém)? Sua vida tem valor monetário? Por qual valor você abre mão do seu futuro? A vida de seus familiares tem valor? Por quanto você tira tudo isso da sua vida?

Espero que suas respostas para tais perguntas tenham sido: “Nenhum!”, “Não tem!”, “Imensurável!”… Portanto, nenhuma indenização poderá recuperar qualquer perda em nenhum dos dois crimes! A indenização é um método para um reinício, mas agora muito foi deixado para trás… na lama ou no fogo… um crime! Não podemos reagir com naturalidade ou conceituar erroneamente!

Pense nisso! Participe da solução! Envolva-se! Incomoda? Então não se acomode!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here