No Futuro do Pretérito

0
657

De certa forma nossa cultura é também de exageros. Tivemos Reis e Rainhas do Rádio e um Rei que jogava bola. Fomos o Império do Brasil e tivemos Imperadores de verdade, os Pedros.

Nos anos 1960 o lema era ´cinquenta anos em cinco`, construímos uma Nova Capital, Brasília, cheia de Palácios, contradições e burocracia. Estes Palácios foram construídos na República!!

No atacado, governo após governo os exageros criaram uma série de eventos. Num curto intervalo de tempo mandamos um militar à Estação Espacial Internacional em 2005, realizamos Jogos Pan-Americanos 2007, Campeonato Mundial de Jogos Militares em 2011, Copa do Mundo de Futebol 2014, e as Olimpíadas do Rio em 2016.

Em tudo isso ´gastou-se` mais do que o razoável, criando a ilusão de que o país era uma superpotência. O Rio de Janeiro, sede dos jogos, faliu.

O país entrou em grave recessão econômica, desorganização social e ativismo civil que permaneceu e se agrava hoje.

Não há recursos para nada.

Discutir mineração espacial em asteroides e na própria Lua, como faz o mundo hoje, é uma utopia.

Precisamos disso e construíamos um grande Veículo Lançador de Satélite a partir da base de Alcântara. Não conseguimos e um grave acidente em 2003 adiou ´sine die` o Projeto.

Só para lembrar há 80 anos os alemães construíam foguetes e subiam a 126 km de altura. Há 50 anos o Homem pisava na Lua, era um passo…

Em 2015 foi anunciado o Trem Bala. Puro festim.

Trens urbanos?

Como entender os trens urbanos da CPTM que quebram todos os dias em trechos que se revezam?

Como entender que Brasília em 1960 tenha sido construída sem metrô sendo que este existe desde 1863?

Viadutos e vias elevadas, em todo o país começam a se desfazer, precisam de manutenção, são na maioria dos anos 70. ´Tudo o que é sólido desmancha no ar`, já dizia Karl Marx.

Na Antártida, a Estação Brasileira Comandante Ferraz inaugurada em 2012 queimou, foi reinaugurada em 2020, fica na Ilha Rei George, periferia deslocada no continente gelado. Poderíamos ir para o núcleo da Antártida, criar ali uma sofisticada estação invernal, ter estações de esqui, fomentar o turismo nas estações. Exagero?

O academicismo prevalece na Universidade Brasileira, produz ‘muito papel`, muita “ciência pela ciência” e não ciência para a sociedade. Não se veem depósitos de patentes e bens criados para a sociedade. Exagero?

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here